quinta-feira, 24 de junho de 2010

Oração para o dia dos pais



P A I ! Pai nosso de todos os dias, Imagem e semelhança Daquele lá do céu.
Um ser especial,um companheiro fiel... Fonte de amor, de esperança e de sabedoria!
Tudo que sabemos e somos, aprendemos contigo.
Ensinaste-nos dando exemplos, fazendo!
Assim crescemos, fazendo e aprendendo,
Sempre vendo em ti um modelo, um amigo.
De ti, trazemos no sangue e nos nomes, gotas e pedacinhos,
Verdadeiros símbolos de amor e de carinho,
Que se integraram à nossa vida,fazem parte do nosso ser, Ser pai é mais que missão,É exercício pleno do amor, através da entrega e da doação.
É dar a própria vida, para que os filhos possam viver!
Pai, obrigado (a) pela VIDA

Feliz Dia Dos Pais

O melhor pai



O MELHOR PAI

Esquete onde crianças disputam para definir qual pai é melhor, cada uma defendendo o seu.

Carla – (pergunta a Paola) Você já sabe o que vai dar ao seu pai?

Paola – Estou tentando resolver

Bruno – Ih! Isso é difícil! Eu ainda não consegui decidir. Todo o ano é a mesma coisa: meia e lenço; lenço e meia. Creme de barba, então, ele faz coleção.

Pedro – Meu pai merece um presente bem legal. Pensei em três coisas. A 1ª uma bola para jogar futebol comigo, a 2ª uma camiseta com meu retrato impresso e a 3ª uma caixa de ferramentas para consertar meus brinquedos.

Michel – Cara, você não é nada interesseiro hein?!

Entram em cena Mário, Marcelo, Débora e Renata conversando entre si

Renata – (pergunta a todos) Oi gente! Sobre o que vocês estão conversando?

Paola – sobre o Dia dos Pais

Michel – Estamos pensando qual presente comprar

Marcelo – Ah! Isso é dureza, penso, penso, penso e sempre dou a mesma coisa lenço e meia, meia e lenço

Mário – Eu preciso pensar em um bom presente porque o meu pai é o melhor pai do mundo.

Todos ao mesmo tempo dizem que seus pais é que são os melhores. Clau e Rodrigo entram na sala.

Clau – Oi turminha!!! Nossa que agitação!

Rodrigo – O que está acontecendo?

Carla – Rodrigo, o Mário disse que o pai dele é o melhor do mundo. Eu não concordo!

Clau – Com certeza o que ele quis disser que para ele, na vidinha dele, o pai dele é o melhor, da mesma forma que para ti o teu pai é o melhor, assim como o Ronei é o melhor para o Michel...

Rodrigo – Vamos fazer o seguinte: cada um vai dizer porque o seu pai é o melhor. Quem começa?

Bruno –

Carla –

Michel –

Mário –

Marcelo –

Pedro –

Paola –

Débora –

Renata –

Clau – Sabe gente, o melhor pai é o nosso pai que está no céu. Esse sim é o melhor pai do mundo.

Rodrigo – É perfeito, não erra, faz tudo certo...

Paola – Nós sabemos que nossos pais erram, mas também acertam

Pedro – Eles se alegram (e se o timão vence, então!!!), mas também se entristecem

Marcelo – Sorriem, mas também choram

Débora – São corajosos, mas também sentem medo, quem não sente medo?

Mário – São determinados, mas as vezes se sentem inseguros, isso é normal!

Carla – São animados, cheios de energia, mas as vezes desanimam, como todo mundo

Bruno – Não esperamos que eles sejam super-herois.

Renata – Eles só são bons na telinha do cinema, precisamos de pais de carne e osso, com coração, sabe, que sejam humanos.

Michel – Nós só esperamos que eles... 1.2.3

Todos cantam Faça o Melhor

Paola - A Bíblia no diz que o amor é um dom supremo que vem de Deus e que ele lança fora todo o medo.

Carla – Então, por causa do amor de Deus em nós, podemos obedecer sem medo nossos pais

Pedro – E os nossos pais podem ter a certeza que o amor de Deus neles, nos guiará pelo melhor caminho.


Mensagem (Nosso pai, nosso herói )



Nosso pai, Nosso Herói.

Eu estava sentado em minha cadeira favorita, estudando para a fase final de meu doutorado, quando Sarah apareceu com uma pergunta:
"papai, você quer ver meu desenho? Sarah, papai está ocupado. Volte um pouco mais tarde, querida".

Eu estava ocupado. O trabalho de uma semana inteira a ser feito em apenas um fim de semana. Dez minutos depois ela entrou na sala: "papai, me deixa te mostrar o meu desenho".
"Sarah, volte mais tarde. Isto que estou fazendo é importante".

Três minutos depois ela entra novamente, fica a um palmo de meu nariz e falou com todo o poder que um comandante de cinco anos de idade poderia conseguir:
"Você quer ver ou não?"
"Não, eu não quero". Com isso, ela zuniu pra fora e me deixou só.

E de alguma maneira, estando só naquele momento não estava tão satisfeito quanto pensei que ficaria.
Senti-me como que puxado e fui até a porta da frente.
"Sarah" eu chamei, "você poderia entrar um minuto, por favor? papai gostaria de ver o seu desenho". Ela entrou sem reclamações e se atirou em meu colo. Era um grande quadro. Ela lhe deu até um título. No alto, com sua melhor letra, estava escrito:
NOSSA FAMÍLIA.

"Explique-me o quadro", pedi a ela. "Aqui é a Mamãe (uma figura de palito com cabelos longos, amarelos, ondulados), aqui sou eu, do lado de Mamãe (com um sorriso no rosto), aqui é Katie (nosso cachorro), e aqui é Missy (a pequena irmã dela)".

Era uma interessante apresentação da forma como ela via nossa família. "Adorei seu desenho, querida. Vou pendurar na parede da sala de jantar, e toda noite quando eu voltar da aula eu vou olhar para ele".

Ela sorriu de orelha a orelha e foi brincar lá fora. Voltei aos meus livros. Mas por alguma razão eu mantive a leitura no mesmo parágrafo repetidamente.

Algo me deixava intranqüilo. Algo sobre o desenho de Sarah. Alguma coisa estava faltando. Eu fui até a porta da frente. "Sarah" eu chamei, "você poderia voltar aqui dentro um minuto, por favor? Eu quero olhar seu desenho novamente".Sarah voltou ao meu colo. Hoje, fecho meus olhos e posso ver exatamente o jeitinho dela. Bochechas rosadas.

Rabo de cavalo, short vermelho e tênis. Uma boneca de pano, chamada Nellie, debaixo do braço. Eu fiz uma pergunta para minha pequena menina, mas não estava certo de querer ouvir a resposta. "Querida, Tem a Mamãe, e Sarah, e Missy. Até Katie, que é um cachorro está no desenho. E tem o sol, e a casa,e esquilos e pássaros. Mas Sarah... onde está seu papai?"

"Você está na biblioteca". Ela respondeu.

Com aquela declaração simples, minha pequena princesa parou o tempo para mim. Erguendo-a suavemente, eu lhe mandei de volta para brincar ao sol de primavera. Eu me afundei em minha cadeira com a cabeça girando. A declaração simples de Sarah - Você está na biblioteca - prendeu minha atenção por um bom tempo. Pendurei o desenho na parede da sala de jantar conforme tinha prometido à minha menina. E por aquelas longas semanas que antecederam a defesa de minha tese, eu encarei aquele retrato esclarecedor. Finalmente terminei meu doutorado.

Agora eu era "Dr. Rosberg", e eu deveria ter me sentido muito bem. Mas francamente não havia muita alegria em minha vida. Uma noite depois da graduação, Bárbara e eu estávamos conversando na cama e eu lhe perguntei: Bárbara, obviamente você viu o desenho da Sarah pendurado na parede da sala de jantar. Por que você não disse nada? "Porque eu sei o quanto feriu você".

Palavras de uma sábia mulher. Àquele ponto, eu fiz a pergunta mais difícil de minha vida.

"Bárbara... Eu quero voltar pra casa, posso? Vinte segundos de silêncio se seguiram. Parecia que eu prendia meu fôlego por mais de uma hora. "Gary", Bárbara disse cuidadosamente "as meninas e eu te amamos muito. Nós o queremos em casa. Mas você não esteve aqui. Eu me senti como mãe e pai durante muito tempo".
As palavras impressas parecem frias, mas ela as disse com carinho e ternura. Era apenas a verdade clara, sem disfarce. Minha pequena menina tinha desenhado o quadro, e agora a mãe dela dizia as palavras. Minha vida tinha sido descontrolada, minha família estava em piloto automático, e eu tinha uma longa estrada pela frente se quisesse as conquistar novamente. "

Mas eu tinha conseguir. Agora que a névoa tinha se dissipado, se tornou o objetivo mais importante de minha vida. O Dr. Gary Rosberg conseguiu sua família de volta. Mas isso custou tempo, sacrifício e amor. Dois anos depois, sua três queridas princesas lhe entregaram um presente: um novo quadro da família, com papai bem no centro. De volta ao seu lugar.





Fonte: www.melodia.com.br

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Mensagem (amor de mãe)



Amor de Mãe

Eu lhe dei a vida, mas não posso vivê-la por você.

Eu posso mostrar-lhe caminhos, mas não posso estar neles para liderar você.

Eu posso levá-lo à igreja, mas não posso fazer com que tenha fé.

Eu posso mostrar-lhe a diferença entre o certo e o errado, mas não posso sempre decidir por você.

Eu posso lhe comprar roupas bonitas, mas não posso fazê-lo bonito por dentro.

Eu posso lhe dar conselho, mas não posso segui-lo por você.

Eu posso lhe dar amor, mas não posso impô-lo a você.

Eu posso ensiná-lo a compartilhar, mas não posso fazê-lo generoso.

Eu posso ensinar-lhe o respeito, mas não posso forçá-lo a ser respeitoso.

Eu posso aconselhá-lo sobre amigos, mas não posso escolhê-los por você.

Eu posso alertá-lo sobre sexo seguro, mas não posso mantê-lo puro.

Eu posso informá-lo sobre álcool e drogas, mas não posso dizer "NÃO" por você.

Eu posso falar-lhe sobre o sucesso, mas não posso alcançá-lo por você.

Eu posso ensiná-lo sobre a gentileza, mas não posso forçá-lo a ser gentil.

Eu posso orar por você, mas não posso impor-lhe Deus.

Eu posso falar-lhe da vida, mas não posso dar-lhe vida eterna.

Eu posso dar-lhe amor incondicional por toda a minha existência... e isso eu farei.

fonte:http://tiaidalete.blogspot.com/

Peça (AS DUAS MÃES ,SABEDORIA DE SALOMÃO)



AS DUAS MÃES SABEDORIA DE SALOMÃO

BASEADO EM I REIS 5,6
PERSONAGENS:
Narrador
Salomão
Mulher 1
Mulher 2
Guarda 1
Guarda 2
CENA 01
Salomão dormindo
NARRADOR: Salomão, Salomão
SALOMÃO: ( Assustado) Quem está falando? O que queres?
NARRADOR: O Senhor Deus de Jacó, Deus de seu pai Davi e quem te fala.
NARRADOR: Salomão, pede-me o que queres e eu te darei.
SALOMÃO: Senhor, meu Deus, a mim fizeste reinar no lugar de Davi, não passo de uma criança e não sei como conduzir-me. O povo é grande, tão numerosos que não se pode contar, dá-me pois um coração sábio para julgar teu povo com justiça.
NARRADOR: Já que pediste sabedoria e não riquezas, nem longa vida e nem a morte dos teus inimigos, dou-te coração sábio e inteligente e o que não pediste eu também te dou riqueza e glória. E se andares nos meus caminhos e guardares os meus estatutos e os meus mandamentos prolongarei os teus dias na terra.
SALOMÃO: Obrigado meu Deus e Senhor. (Salomão acorda do sono)
CENA 02: ( Na casa das mulheres)
Duas mulheres dormindo, uma dorme em por cima do filho e o mata, então ela troca o filho. A outra acorda e ao dar de mamar para o filho percebe o ele está morto e que ele foi trocado, começa a chorar e chama a outra mulher e fala que o filho é dela, então começa a discussão.
MULHER 1: Vamos resolver este assunto com o rei
MULHER 2: Isso mesmo, o rei resolverá.
CENA 03: ( No palácio do rei)
As duas vem discutindo ( O filho é meu....). Salomão está escrevendo e pergunta:
SALOMÃO: Guarda verifique o que está acontecendo, não estou conseguindo me concentrar
MULHER 1: Queremos falar com o rei Salomão.
GUARDA 1: Espere aí, vou ver se ele pode atendê-las.
GUARDA 1: Rei, tem duas mulheres querendo falar com você.
SALOMÃO: Pois bem. Mande-as entrar.
GUARDA 1: Entre para falar com o Rei.
MULHER 1 e MULHER 2: Ele pegou meu filho, é mentira....
SALOMÃO: Pare! uma de cada vez, você primeiro.
MULHER 1: Ah! Senhor meu, eu e esta mulher moramos na mesma casa, onde dei luz a um filho, três dias depois ela teve um filho. De noite o filho dela morreu porque deitara sobre ele. Ela levantou-se de madrugada e trocou as crianças. Quando fui dar de mamar para o meu filho percebi que ele estava morto e vi que não era meu filho.
MULHER 2: Ela está mentindo, este filho é meu.
MULHER 1: O filho é meu...
SALOMÃO: ( em pé) Você diz que este filho é seu ( apontando para a mulher 1) Você diz que é seu ( apontando para a mulher 2). De fato uma de vocês é a verdadeira mãe.
Guarda, tive uma ideia, tragam-me um espada
Divida a criança ao meio, daí a metade a uma mulher e a outra metade para a outra mulher.
MULHER 1: Não senhor, se é para matá-lo, de o meu filho para ela, é melhor ele vivo do que morto, por favor não o mate por favor ( com clamor).
MULHER 2: Divida-o sim meu rei, nem de o filho para mim e nem para ela.
SALOMÃO: Guarda daí está criança a esta mulher (mulher 1), porque de fato ela é a verdadeira mãe e quanto a esta outra ( mulher 2) prenda-a, pois, ela é impostora.
MULHER 1: Obrigado meu rei por julgar meu caso com justiça.
NARRADOR: Todo o Israel ouviu a sentença que o rei havia proferido e todos tiveram profundo respeito ao rei, porque havia nele sabedoria de Deus para fazer justiça.
FIM

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Peça com fantoche ( A história da obediência )

A HISTÓRIA DA OBEDIÊNCIA

Peça que pode ser apresentada com fantoches...
Narrador e Samuel falam sobre obediência

Samuel, Hofni e Fineias

NARRADOR: Olá, crianças!!! Prestem muita atenção porque hoje vamos falar sobre obediência. E para isso vamos conversar com algumas pessoas que vieram para me ajudar a contar a história.
SAMUEL: (o narrador leva um susto) Olá, pessoal! Qual é? Tudo bem com vocês?
NARRADOR: Puxa! Que susto você me deu!
SAMUEL: Ah, desculpa, (tia Jeanne). Eu não queria assustar você!
NARRADOR: Tudo bem, já passou. Mas... quem é mesmo você?
SAMUEL: Ah, tia Jeanne, não tá me reconhecendo, eu sou o Samuel. O Filho de Ana e Elcana! Lembrou?
NARRADOR: Ah... sim! Samuel, tô lembrada sim! Tudo bem com você Samuel?
SAMUEL: Tudo maneiro, tia Jeanne.
NARRADOR: Bem, Samuel, agora você pode falar novamente com as crianças!
SAMUEL: Olá, pessoal! Qual é? Tudo bem com vocês?
NARRADOR: (leve as crianças a responder a saudação do fantoche)
SAMUEL: Quanta criança bonita, hein tia Jeanne?
NARRADOR: É verdade, Samuel, essa crianças são bonitas e também abençoadas!
SAMUEL: Que bênção, hein!
NARRADOR: Samuel, me diga uma coisa.
SAMUEL: O que é, tia Jeanne?
NARRADOR: Samuel, sabe que um dia eu li a sua história na bíblia?
SAMUEL: É mesmo, tia Jeanne! A minha história tá na bíblia sim. Mas o que foi que você leu sobre mim, tia Jeanne?
NARRADOR: Ah... eu li uma coisa muito interessante. Eu li que seu pai e sua mãe queriam muito ter um bebê e que oraram muito a Deus pra você nascer, é verdade, Samuel?
SAMUEL: É verdade sim! É verdade sim! Minha mãe orou e disse que se Deus lhe desse um filho, ela o consagraria e o entregaria no altar de Deus.
NARRADOR: Ah, então sua mãe orou ao Senhor porque ela queria ficar grávida? (chegando mais perto de Samuel) E Deus ouviu a oração dela?
SAMUEL: É claro, né tia Jeanne. Olha eu aqui!
NARRADOR: Ah... (ops), é claro! É mesmo, você está aí!!! Você é a prova de que Deus ouviu a oração de Ana.
SAMUEL: (balança a cabeça várias vezes pra concordar)
NARRADOR: E porque Deus respondeu a oração de sua mãe, ela cumpriu o voto que fez, não é isso, Samuel?
SAMUEL: É isso mesmo, tia Jeanne. E o voto era que ela me deixaria no templo pra ficar junto do sacerdote Eli para aprender mais sobre Deus.
NARRADOR: É mesmo (pausadamente), Samuel?
SAMUEL: Isso, isso, isso!
NARRADOR: E... Samuel... (pausa com possível desconfiança).... Me diga uma coisa aqui. (chega bem perto do Samuel)
SAMUEL: (Se inclina para o narrador)
NARRADOR: Quando sua mãe disse que você tinha que ficar lá com o sacerdote Eli... você ... você, assim... você...
SAMUEL: Pode falar tia Jeanne!
NARRADOR: Você obedeceu?
SAMUEL: Sabe tia Jeanne, eu decidi uma coisa na minha vida.
NARRADOR: E o que foi que você decidiu, Samuel?
SAMUEL: Eu decidi que quero ser sempre obediente.
NARRADOR: É mesmo, Samuel? Mas isso é uma coisa muito boa!!! Parabéns, viu!!!???
SAMUEL: O... tia Jeanne.
NARRADOR: O que foi, Samuel?
SAMUEL: Será... que essas crianças que estão aqui são todas obedientes?
NARRADOR: Eu não sei, não. Mas... pergunte pra elas, ué!
SAMUEL: Posso perguntar, tia Jeanne?
NARRADOR: Pode sim Samuel.
SAMUEL: Crianças, vocês são obedientes? (pausa) Quem é criança obediente aqui levanta a mão!
NARRADOR: Olha, Samuel, viu quanta criança aqui é obediente?
SAMUEL: Vi sim, tia Jeanne. Isso é muito bom.
SAMUEL: Mas tia Jeanne, eu conheci filhos desobedientes.
NARRADOR: É mesmo Samuel? E quem são esses filhos desobedientes?
SAMUEL: Ah, vou dizer o nome deles: é Hofni e Finéias.
NARRADOR: Ah... sei. Sei sobre eles.
SAMUEL: Ah, tia Jeanne, conta para as crianças sobre eles, conta. Vou ali e já volto. Quando você terminar de contar eu volto, ta?!
NARRADOR: Tá bom, Samuel, eu vou contar.
SAMUEL: Fica balançando a cabeça de vez em quando para concordar com a história que está sendo narrada.
NARRADOR: Sabe crianças, existiram duas crianças na bíblia chamadas Hofni e Finéias. Como era o nome delas? ... ... Muito bem! Essas crianças não foram obedientes ao seu pai. Eles desobedeciam, eles faziam coisas erradas, eles falavam palavrões, ... E sabe o que aconteceu? Elas não viveram muito tempo.
SAMUEL: Que pena!!!
NARRADOR: É. Que pena mesmo, não é Samuel? Mas você sabe que eles morreram porque não foram obedientes? É isso mesmo. Quem não é obediente pode morrer cedo, sabia.
Mas ninguém precisa ficar preocupado, é só ser obediente, não é mesmo?!
NARRADOR: O nosso amigo aqui, o Samuel da bíblia, ele sempre foi obediente ao sacerdote Eli, aos seus pais e também a Deus. Não é Samuel?
SAMUEL: Só balança a cabeça confirmando.
NARRADOR: Então...
MÃE: (voz oculta) Samuel! Samuel!!
SAMUEL: Hi, tia Jeanne, preciso ir, minha mãe tá me chamando. E como eu sou obediente, eu vou rapidinho. Tchau criançada! Até a próxima!!!! FUI!!!
NARRADOR: Vamos dar tchau pro Samuel crianças? Tchau!!!!!!!!
NARRADOR: Viu pessoal como o Samuel é obediente? E por ser obediente, ele agradou muito ao Senhor!
NARRADOR: Não sejam como aqueles dois irmãos, Hofni e Finéias que foram desobedientes. Seja como Samuel.

domingo, 6 de junho de 2010

Reflexão (Conselhos)

Dona Cacilda é uma senhorinha de 92 anos, miúda e tão elegante, que todo o dia, às oito da manhã, ela já se encontra toda vestida, bem penteada e perfeitamente maquiada, apesar de não enxergar muito bem.

E hoje ela se mudou para uma casa de repouso. O marido, que a acompanhara durante 70 anos, morreu recentemente, e não havia outra solução.

Depois de esperar pacientemente por duas horas na sala de visitas, ela deu um lindo sorriso quando a atendente veio dizer que seu quarto estava pronto. Enquanto ela manobrava o andador em direção ao elevador, a atendente descreveu seu minúsculo quartinho, inclusive as cortinas de chintz florido que enfeitavam a janela. A senhora ouvia as descrições da atendente com o entusiasmo de uma garotinha que acabou de ganhar um filhote de cachorrinho.

- Ah, eu adoro essas cortinas.
- Dona Cacilda, a senhora ainda nem viu seu quarto... espera mais um pouco...
- Isso não tem nada a ver - ela respondeu - Felicidade é algo que você decide por princípio. Se eu vou gostar ou não do meu quarto não depende de como a mobília está arrumada... é como eu preparo minha expectativa. E eu já decidi que vou adorar. É uma decisão que tomo todo dia quando acordo. Sabe, eu tenho duas escolhas: posso passar o dia inteiro na cama contando as dificuldades que tenho em certas partes do meu corpo que não funcionam bem... ou posso levantar da cama agradecendo pelas outras partes que ainda me obedecem. Cada dia é um presente, e enquanto meus olhos se abrirem, vou focalizar no novo dia e também nas lembranças alegres que eu guardei para esta época da vida. A velhice é como uma conta bancária: você só retira daquilo que você guardou. Então, meu conselho para você é depositar um monte de alegrias e felicidades na sua Conta de Lembranças. E aliás, obrigada por este seu depósito no meu Banco de Lembranças. Como você vê, eu ainda continuo depositando.

Receita da D. Cacilda para se manter jovem:

1. Jogue fora todos os números não essenciais para sua sobrevivência. Isso inclui idade, peso e altura. Deixe o médico se preocupar com eles. Para isso ele é pago.
2. Freqüente, de preferência, seus amigos alegres. Os "baixo-astrais" puxam você para baixo.
3. Continue aprendendo. Aprenda mais sobre computador, artesanato, jardinagem, qualquer coisa. Não deixe seu cérebro desocupado. Uma mente sem uso é a oficina do diabo. E o nome do diabo é Alzheimer.
4. Curta coisas simples.
5. Ria sempre, muito e alto. Ria até perder o fôlego.
6. Lágrimas acontecem. Agüente, sofra e siga em frente. A única pessoa que acompanha você a vida toda é VOCÊ mesmo. Esteja VIVO enquanto você viver.
7. Esteja sempre rodeado daquilo que você gosta: pode ser família, animais, lembranças, música, plantas, um hobby, o que for. Seu lar é o seu refúgio.
8. Aproveite sua saúde. Se for boa, preserve-a. Se está instável, melhore-a.Se está abaixo desse nível, peça ajuda.
9. Não faça viagens de remorsos. Viaje para o shopping, para uma cidade vizinha, para um país estrangeiro, mas não faça viagens negativas ao passado.
10. Àqueles que você ama, diga sempre que você realmente os ama em todas as oportunidades.

E lembre-se sempre que a vida não é medida pelo número de vezes que você respirou, mas pelos momentos em que você perdeu o fôlego de tanto rir... de surpresa, de êxtase, de felicidade.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

fotos do cultinho das crianças








fotos do cultinho das crianças com a apresentação da peça ,
"O pirata em busca do tesouro",foi uma benção.
Na minha igreja.







irmã Marize e a irmã Katia

Como trabalhar com crianças

Como trabalhar com crianças?

Estudando o ministério de Jesus, não é difícil definir como o trabalho com crianças deve ser estruturado. Jesus tocou cada aspecto do homem e assim que deve ser o trabalho com crianças.Jesus cuidou das necessidades:
· Físicas (Mateus 14:13-21)
· Sociais ( Mateus 9:9-12)· Mentais (Lucas 4:22)
· Emocionais(Marcos 5:1-20)
· Espirituais (João 4)

Por que pessoas aceitam o desafio de trabalhar com crianças?
Quando Jesus falou:(Mateus 25:40), ele estava falando com as pessoas que trabalhariam com crianças. Parece uma tarefa humilde, sem muita recompensa, mas é uma tarefa importantíssima, como já vimos. As crianças precisam de orientação espititual. Elas têm valor aos olhos de Deus. O que falta é uma disponibilidade de pessoas que queiram trabalhar seriamente com os pequeninos. Jesus fa-lou(leia João 10:27). Podemos e devemos seguir o exemplo de Jesus, ensinando a criança. Lembre-se:
Um médico pode curar doenças
Um dentista pode cuidar dos dentes
Seus pais podem lhe dar carinho e amor
Seus amigos podem ensiná-la a brincar em conjunto
Seus avós podem falar-lhes sobre o passado
A televisão pode mostrar-lhes o mundo
Mas...Quem vai ensinar essa criança que Deus amou o mundo e enviou-lhe seu Filho? Quem?

Por: Valéria D'Almeida

quarta-feira, 2 de junho de 2010

layouts para blogs





Reflexão

A Samambaia e o Bambu

Certo dia decidi dar-me por vencido.
Renunciei ao meu trabalho, às minhas relações, e à minha fé.
Resolvi desistir até da minha vida.
Dirigi-me ao bosque para ter uma última conversa com Deus.
Eu disse: “Deus, poderias dar-me uma boa razão para eu não entregar os pontos?"

Sua resposta me surpreendeu:

"Olha em redor... Estás vendo a samambaia e o bambu?"

"Sim, estou vendo", respondi.

"Pois bem. Quando eu semeei as samambaias e o bambu, cuidei deles muito bem.
Não lhes deixei faltar luz e água.
A samambaia cresceu rapidamente.
Seu verde brilhante cobria o solo.
Porém, da semente do bambu nada saía.
Apesar disso, eu não desisti do bambu.
No segundo ano, a samambaia cresceu ainda mais brilhante e viçosa.
E, novamente, da semente do bambu, nada apareceu.
Mas, eu não desisti do bambu.
No terceiro ano, no quarto, a mesma coisa…
Mas, eu não desisti.
Mas… no quinto ano, um pequeno broto saiu da terra.
Aparentemente, em comparação com a samambaia, era muito pequeno , até insignificante.
Seis meses depois, o bambu cresceu mais de 50 metros de altura.
Ele ficara cinco anos afundando raízes.
Aquelas raízes o tornaram forte e lhe deram o necessário para sobreviver.
A nenhuma de minhas criaturas eu faria um desafio que elas não pudessem superar".

E olhando bem no meu íntimo, disse:
"Sabes que durante todo esse tempo em que vens lutando, na verdade estavas criando raízes?
Eu jamais desistiria do bambu.
Nunca desistiria de ti.
Não te compares com outros”.

“O bambu foi criado com uma finalidade diferente da samambaia, mas ambos eram necessários para fazer do bosque um lugar bonito”.

“Teu tempo vai chegar” disse-me Deus.
“Crescerás muito!”

Quanto tenho de crescer? perguntei.

“Tão alto como o bambu?” foi a resposta.

E eu deduzi: Tão alto quanto puder!

Espero que estas palavras possam ajudar-te a entender que Deus nunca desistirá de ti.
Nunca te arrependas de um dia de tua vida.
Os bons dias te dão felicidade.
Os maus te dão experiência.
Ambos são essenciais para a vida.
A felicidade te faz doce.
Os problemas te mantêm forte.
As penas te mantêm humano.
As quedas te mantêm humilde.
O bom êxito te mantém brilhante.
Mas, só Deus te mantém caminhando...

Se essa mensagem de alguma forma te abençoou, por favor, repasse aos amigos... ela abençoará alguém que está precisando.

Seguidores